Não consigo gozar! Confira 6 causas e soluções

Falar de sexo é muitas vezes, para homens e mulheres de todas as idades, algo extremamente complicado. Isso deve-se não somente ao tabu clássico do tema, mas também pela falta de conhecimento!

Isso é ainda mais intensificado quando nós não conhecemos nosso próprio corpo, o que muitas vezes resulta na tradicional frase: não consigo gozar! Problemas hormonais, pressão no relacionamento, vergonha e questões emocionais estão entre as principais causas desse problema.

Você procura soluções realmente eficientes para finalmente conseguir gozar? Vem com a Dona Coelha, que aqui é um ambiente livre de preconceito e recheado de informações que podem te ajudar a chegar nesse ápice do prazer! Confira na sequência!

Por que não consigo gozar? 6 causas mais comuns!

Saudável, necessário e super prazeroso, o sexo é – sem dúvida nenhuma! – um dos momentos mais empolgantes da vida adulta. Contudo, como é um assunto pouco debatido e com muitos mitos, tornou-se um tema “proibido socialmente”.

E, como é de se pensar com tudo aquilo que falta informação, muitas pessoas tendem a desconhecer as verdadeiras motivações que impedem o gozo. Há – e inclusive é bastante comum! – quem não saiba como identificar o ápice do prazer sexual.

Dentre as causas que nos impedem de atingir o orgasmo – seja homem ou mulher – podemos enumerar traumas na infância, estresse, depressão, medo, dentre outros. Além disso, a falta de conhecimento sobre o próprio corpo também pode contribuir! Vamos falar as 6 causas mais comuns?

1 . Traumas na infância

Pessoas que viveram em uma condição de abuso na infância – seja físico ou psicológico – tendem a ter dificuldade de gozar. Abandono, negligência e abusos sexuais configuram uma teia de problemas que impedem, não só o orgasmo, mas também o desenvolvimento de relações profundas e duradouras.

2 . Estresse

Pessoas acometidas por situações de muito estresse psicológico tendem a ter dificuldades de atingir o ápice do prazer. Homens, principalmente, são colocados em uma situação de virilidade blindada – dada por uma sociedade que não admite a falha sexual masculina – e, quando deparam-se com a situação, tendem a ter dificuldade de lidar com o problema.

3 . Depressão

A depressão é um dos problemas que mais levam à falta de libido e, portanto, impedem o gozo. Além disso, pessoas nessa condição tendem a usar antidepressivos, que também conduzem a anorgasmia – ausência de orgasmos. As mulheres estão entre as mais afetadas e, segundo especialistas, essa condição tende a piorar quando combinada a remédios anticoncepcionais.

4 . Medo

O medo é outro fator que pode estar te impedindo de chegar ao prazer. Muito mais comum entre homens, as diversas práticas sociais tóxicas e castradoras da figura masculina, que definem a masculinidade como atrelada ao sexo heteronormativo e agressivo, frustram e reprimem qualquer um que tente buscar alternativas menos estereotipadas nas relações sexuais.

5 . Distúrbios hormonais

Com o passar dos anos nosso corpo sofre modificações! É comum, por exemplo, a perda de sensibilidade no pênis e a falta de libido. Além disso, as desregulações hormonais, próprias de períodos como menopausa e andropausa, também tendem a contribuir para não conseguirmos gozar!

6 . Idealização sexual

O sexo ainda é fortemente visto como uma prática heteronormativa, falocêntrica e muito machista, que exclui a educação sexual e fomenta a pornografia! Veja bem, sexo real não é contracenado, envolve pessoas com corpos fora do padrão e atitudes que não são ensaiadas. Resultado? Forte quebra de expectativa e desmotivação sexual.

Além disso, entre as mulheres – principalmente – há um desconhecimento do próprio corpo. Enquanto os meninos são incentivados a masturbação desde de cedo, as meninas são levadas a acreditar que a mesma atitude é extremamente proibida para si. Imagina como é difícil para alguém nos estimular se nem nós mesmo sabemos fazer isso?

Pague com
  • Pagali
  • Pix
Selos

AR SMART COMERCIO DE IMPORTADOS EIRELI - CNPJ: 38.504.581/0001-71 © Todos os direitos reservados. 2022